quinta-feira, 20 de novembro de 2014

A ÍNDIA

A Índia é mencionada apenas duas vezes na Bíblia, e isso no livro de Ester (1.1 – 8.9), há, contudo, outras provas de que mesmo em tempos muito primitivos tiveram os judeus algum conhecimento daquele pais, ou pelo menos de certas mercadorias, vindas dali. Estes gêneros eram trazidos em récuas de camelos através da Arábia, ou pelo mar ao longo das costas do oceano indico. o negócio estrangeiro no reinado de Salomão foi grande em produtos da india, e diz-se que mesmo o estanho era importado daquela região. A afirmação, em Est 1.1, de que o rei Assuero governava desde a india até à Etiópia, fixa a extensão dos domínios persas no oriente até ao rio indo. RELIGIÃO A Índia é o berço de duas grandes religiões do mundo, o Budismo e o Hinduísmo. Também é a origem de uma das mais antigas religiões, o zoroastrismo. No entanto, o Hinduísmo é a crença mais praticada, com mais de 80% de adeptos. A Índia é o lar secular de hinduísmo, islamismo, cristianismo, budismo, jainismo, sikhismo e outras inúmeras tradições religiosas. Além de hindus, os muçulmanos são o grupo religioso mais importante e são parte integrante da sociedade indiana. Na verdade a Índia tem a segunda maior população de muçulmanos no mundo depois da Indonésia. Os hindus (eles representam 82% da população indiana) acreditam em um complexo panteão de deidades que inclui ratos, falos e yogis de pele violeta. Os muçulmanos seguem sua rígida fé monoteísta em Allah. Monges budistas mantêm as cabeças raspadas como símbolo da austeridade de sua religião. Pelo mesmo motivo, siques cultivam longas barbas e melenas. IGREJA O cristianismo está no país desde o ano 52. Segundo a tradição, o discípulo Tomé foi à Índia nessa época, levou alguns indianos a Jesus e estabeleceu sete igrejas na região conhecida agora como Kerala, além de outras em Madras. Ele foi martirizado e sua sepultura ainda está em São Tomé de Meliapor. Nos séculos XV e XVI os portugueses chegaram à Índia e consigo levaram as missões cristãs, que teriam tanto uma função administrativa quanto religiosa na região. Quando lá chegaram, encontraram os cristãos de São Tomé, que tinham ritos e liturgias orientais. Os portugueses, então, tentaram passar aos cristãos locais a forma católica romana de cultuar a Deus. A construção da primeira igreja cristã pelos portugueses aconteceu do estado de Goa, em 1510. As primeiras missões protestantes chegaram à Índia no século XVIII, através dos luteranos da Alemanha. Desde então, diversas igrejas foram estabelecidas no país. Hoje há três correntes do cristianismo na Índia: protestante (igrejas tradicionais), independente e católica romana. Os cristãos formam 2,3% da população (cerca de 24 milhões de fiéis); mais da metade deles é católica. Os protestantes também formam um grupo grande e se dividem em anglicanos, ortodoxos, batistas, presbiterianos e luteranos. Os independentes são igrejas que não estão filiadas às tradicionais e incluem as pentecostais. POPULAÇÃO A Índia abriga a segunda maior população do globo: mais de um bilhão de habitantes. Por volta de 2050, é provável que a Índia ultrapasse a China e se torne a nação mais populosa do planeta, com quase 1,6 bilhão de pessoas. Muitos indianos vivem em grandes aglomerados urbanos, sendo Mumbai (ex-Bombaim) o maior deles, com mais de 15 milhões de habitantes. Há, no entanto, outras dez cidades com populações superiores a um milhão. Nova Déli, com mais de 10 milhões de pessoas, é a capital do país. A idade média da população é 25 anos, e 31% dos indianos têm menos de 15 anos de idade. Com uma população tão jovem, o governo tem sérias dificuldades para fornecer educação, saúde e alimentação adequadas ao povo. Problemas como analfabetismo, proliferação de doenças e mortalidade infantil abundam no país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário